Festejos de fim de ano contarão com 26,6 mil turistas de cruzeiros em Salvador | Réveillon Salvador 2017

Notícias

Fique por dentro de tudo que vai acontecer na maior festa de fim de ano do Brasil.

18 de dezembro, 2017

Festejos de fim de ano contarão com 26,6 mil turistas de cruzeiros em Salvador

O volume de turistas de cruzeiros marítimos a atravessar as catracas do Terminal de Passageiros do Porto de Salvador, no Comércio, para acessar história, tradição, festas populares e belezas da capital baiana, se intensifica nas proximidades das festas de fim de ano. Desta segunda-feira (18) até 3 de janeiro, está prevista a chegada de sete embarcações trazendo 26.675 visitantes, permitindo que os passageiros conheçam também a tradição natalina e o Réveillon da cidade.

Na terra de todos os santos, os visitantes podem escolher diversos roteiros a partir do gosto individual. Há quem opte por seguir as atrações do calendário de eventos, que neste verão terá 42 dias de festa. O ponto de maior destaque é o Festival da Virada – com cinco dias gratuitos de música à beira-mar, agora em novo espaço: a orla da Boca do Rio. A estimativa é de que 500 mil pessoas circulem pelo espaço diariamente, para celebrar a chegada do novo ano ao som de atrações locais, nacionais e internacionais.

Temporada – O período conhecido como temporada de cruzeiros, iniciado em novembro, contará com, aproximadamente, 150 mil turistas chegando de vários lugares do Brasil e do mundo até o final do verão de 2018. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) estima que 85% dos passageiros desta modalidade de viagem descem do navio para visitar a cidade e fazer compras. Partindo desta premissa, os passageiros dos 51 cruzeiros previstos para atracar na cidade durante este período devem injetar R$ 62,5 milhões no comércio local. Isso porque setores da economia soteropolitana estimam o gasto médio individual desse público como algo próximo de R$ 485/dia.

Uma característica presente na temporada 2017/2018 é que mais de 90% dos navios que passarão por Salvador são de origem nacional. São embarcações vindas do Rio de Janeiro, Búzios, Ilhéus, Recife, Santos e Maceió, por exemplo. Há ainda turistas embarcados na cidade de Mindelo, em Cabo Verde, e Santa Cruz de Tenerife, na Espanha.

Estrutura – Ao desembarcar em Salvador, os turistas têm acesso a toda estrutura do Terminal Náutico, com lanchonetes, lojas de câmbio e souvenires, além de atendimento bilíngue e segurança, num ambiente totalmente climatizado. “Essas pessoas movimentam o turismo de uma forma especial, visto que, apesar do pouco tempo de estadia na cidade, visitam bares, restaurantes e setores do comércio local, alimentando a economia da capital baiana”, explica a presidente da secção baiana da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abav), Maria Ângela Carvalho.

Em solo soteropolitano, os visitantes podem conferir os novos equipamentos disponibilizados pela Prefeitura, como a nova estrutura de trechos da orla marítima, praças, parques e espaços verdes. Também é oferecida uma ampla variedade de serviços, que passam pela limpeza urbana, ordenamento de trânsito e comércio, transporte público interligado com o metrô e com destino aos principais pontos turísticos da capital baiana.

O leque de opções disponíveis para o turista interessado na arte e tradição cultural soteropolitana contempla visitas à Casa do Benin, no Pelourinho, aos fortes de São Diogo e Santa Maria, na Barra, com exposições permanentes do artista plástico Carybé e do fotógrafo Pierre Verger, respectivamente. A cidade mantém ainda oito museus localizados no Centro Histórico, que vão abrir as portas para melhor atender aos visitantes.

Segurança – Os roteiros da cidade contam com o apoio e monitoramento da Guarda Civil Municipal por meio do Grupamento de Apoio ao Turista (GAT), que atua na prevenção de crimes e outros transtornos que possam acometer os visitantes. O serviço conta com 81 agentes em turnos de seis horas, totalizando 24 horas de rondas pelos locais de maior concentração de pessoas nos meses de verão.

As equipes destinadas a estas funções recebem treinamento em inglês e noções de atendimento ao público, para garantir uma interação mais eficaz com os turistas. Segundo informações da GCM, nos meses da alta estação, o trabalho é intensificado no perímetro compreendido entre o bairro do Santo Antônio Além do Carmo e o Mercado Modelo, no Comércio.