Notícias

Fique por dentro de tudo que vai acontecer na maior festa de fim de ano do Brasil.

30 de dezembro, 2017

Percussões de Brown e da Timbalada vibram corações no Festival Virada Salvador

Fazendo da celebração do Ano Novo o ritual de passagem do bastão para o que já está sendo chamado de Timbalada do Século XXI, o percussionista Carlinhos Brown traz à baila os novos cantores que passam a comandar o destino do grupo neste novo ciclo. Paula Sanffer, Buja Ferreira e Rafa Chagas foram apresentados ao público pelo Cacique do Candeal, que comandou o batuque timbaleiro na terceira noite do Festival Virada Salvador, na noite deste sábado (30).
A batida tribal de “Meia Lua Inteira”, sucesso de Caetano Veloso imposto por Brown, abriu a festa na Arena Daniela Mercury. Em formato econômico, com apenas cinco percussionistas no palco, a Timbalada trouxe à Orla da Boca do Rio um espetáculo regido pela harmonia, algo discrepante se comparado ao histórico percussivo da banda, embora condizente com a nova proposta harmônica incorporada paulatinamente no grupo.

 

“Já Sei Namorar”, sucesso dos Tribalistas – a face pop romântica de Brown -provocou uma febre de beijos na plateia. Com “Não Quero Dinheiro” (Tim Maia) e “Uma Brasileira” (Brown/Herbert Vianna), o Cacique levou ao palco da Arena Daniela Mercury seu lado intérprete, lembrando sua relação íntima com a MPB. Fizeram ainda parte do repertório “Tantinho”, cantando ao lado de Oscar Dominic, da República Dominicana, que participará do Carnaval com a Timbalada.
Profético, o funk “A Namorada” vem em seguida, levando o público ao êxtase, com sua ode à diversidade. Lançada em 1996, a canção marcou o início da exitosa carreira solo do artista. “Hoje eu me sinto feliz e realizado em perceber que não é mais escárnio alguém amar quem quiser. Hoje temos Pabllo Vittar, hoje o casamento homoafetivo é uma realidade. Você não precisa ser gay para ser contra a homofobia. Ajayo!”, disse Brown